À prova de tudo



O que seria a saudade
Senão a simples vontade de
Te ter junto a mim?


O que seria o amor
Senão o selvagem ardor
Que me faz sempre pensar em ti?


O que seria a esperança
Senão a inútil insistência
De esperar você voltar um dia aqui?


Humilhe-me, Rasgue minha carne...
Magoe-me, fique à vontade...

Só não me impeça de querer
Te amar de verdade...


Porque o amor que eu guardo
Não é o mesmo que tu me prometeste em vão...

Porque a saudade que eu sinto
Me faz desejar apenas tocar tua leve mão...

Se amar é sofrer, por ti estou disposto a morrer...
Que venha o amargor, a dor ou a solidão!

Eu estou pronto!
Pois com você eu vivo eternamente, invulnerável,
Fortificado pelo meu pulsante coração.

Um comentário:

  1. Huuum, quanto romantismo! Pena q vc nao escreve mais!

    ResponderExcluir